O que aprendi no Retiro na Tailândia


Vou te contar o que aprendi sobre inteligência emocional passando um mês em retiro na Tailândia:


A maior lição foi me conectar de forma profunda comigo:

  • A cada movimento do yoga, sentindo o corpo alongar, o ritmo da respiração, as sensações que surgiam...

  • Nas meditações, estar apenas com a minha mente, e o que emerge nela...

  • No estudo da ayurveda, a estar mais atenta a cada sinal que meu corpo dá sobre o que me nutre e o que me desequilibra...

Outro retiro que me marcou, foi o Vipassana: 10 dias em silêncio. Eram muitas horas de meditação por dia, só sentindo as sensações no meu corpo. Em algumas sessões de meditação, a instrução era não mover-se por uma hora e meia!


Era extremamente desafiante. Sentia coceiras. As costas doíam. A perna formigava, até ficar completamente dormente... Era uma agonia. A mente lutava contra, dizendo: se meche não tem como!


Quando eu conseguia não reagir a esse incômodo e ficava só observando as sensações, sem tentar mudar nada... Algo incrível acontecia! O formigamento, dormência e dor sumiam!


Tudo é passageiro. Foi a maior lição desse retiro.


O que me leva a sofrer mais, é a narrativa da mente que diz que aquilo é inaceitável e insuportável. Quando trocava esses pensamentos, por só sentir as sensações, as sensações iam mudando... como tudo na vida!


Na hora da dor, nossa mente pode ser uma inimiga, contando uma história ainda pior do que a realidade. Já o corpo é mais concreto e nos mostra melhor o que está acontecendo neste instante.

Como está o seu corpo agora? Observe!

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo