Como a Vergonha me Paralisava

É difícil admitir que sentimos vergonha! Quando achamos que estamos sendo julgadas pelo que fizemos, pela nossa aparência ou como somos, é comum sentimos medo da rejeição.

A vergonha cresce quando passamos por isso sozinhas por acreditarmos que devemos esconder o que estamos experienciando. E a medida que a vergonha toma conta da gente, pode desencadear sofrimentos mais intensos, como depressão, transto


rnos de ansiedade e distúrbio alimentares. É como se fossemos as únicas a passar por algo a


ssim, diferente de todo mundo.


Mas quando falamos da vergonha, entendemos que não estamos sós. Vamos romper com esse tabu?

Sempre fui apaixonada por dança, mas até 2011 eu nunca tinha me dedicado a dançar. Estava acima do peso e tinha muita vergonha... Até que percebi que eu estava limitando minha própria vida e me impedindo de ser feliz!

Não foi fácil encarar a vergonha de começar a aprender ballet e dança contemporânea do zero com quase 30 anos, em turmas cheias de adolescentes magras e flexíveis! Elas pegavam tudo mais rápido... Enquanto eu encarava as minhas dificuldades e limitações. Mas valeu muito a pena ter tido a coragem de tentar. Me desenvolvi no meu ritmo, emagreci com uma atividade física que de fato gostava e me diverti muito!!! A vergonha foi dando lugar ao prazer e realização! Do que você tem vergonha? De que forma se impede de fazer o que ama?

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo